Manifestação de solidariedade a brasileiros foi maior que o esperado em Buenos Aires

Manifestantes criam cartazes e posam para fotos no Obelisco
Foto: Philipi Chalu 

Enquanto chegam mais manifestantes, alguns preferem pintar o rosto
Foto: Erika Morhy 

 Além de brasileiros, pessoas de diferentes nacionalidades prestam solidariedade ao Brasil
Foto: Erika Morhy
Embaixada abre as portas e recebe comissão de manifestantes
Foto: Erika Morhy

Passavam cinco minutos das cinco da tarde desta terça-feira (18) e uma centena de pessoas já podia ser vista de longe reunida no Obelisco, um dos pontos turísticos tradicionais de Buenos Aires, na Argentina. Muitas bandeiras do Brasil confirmavam que deviam mesmo ser os manifestantes que haviam se organizado pela internet, especialmente pelo facebook, para prestar solidariedade aos mais recentes protestos no Brasil.

Com o fim do outono, cedo começa a escurecer na cidade, com vento frio e uma garoa que não afastou ninguém de seus intentos. Pequenos grupos se agregavam ao encontro; saudavam-se; tiravam fotos; pintavam o rosto de verde e amarelo; desenhavam cartazes para empunhar em seguida durante a passeata de oito quadras até a Embaixada do Brasil. Organizadores estimam que pelo menos mil pessoas se agregaram ao movimento, e gente de diferentes nacionalidades, não apenas de diversos estados brasileiros, o que misturava ainda mais os sotaques. No grupo do facebook criado pelo movimento, mais de 3 mil pessoas confirmaram presença.

A marcha foi acompanhada pela polícia argentina, tão pacífica quanto o ato. Aparentemente, nenhum incidente foi registrado, ainda que tendo fechado uma via da avenida 9 de Julio. Em função de sua largura, a avenida é considerada uma das maiores do mundo.

À frente da Embaixada, por volta das 19h, o grupo já menor de manifestantes formou uma comissão para ser recebida pelo segundo ministro do órgão, que recebeu a Carta Aberta Ao Embaixador do Brasil em Buenos Aires e o abaixo-assinado.

Uma das organizadoras do movimento, a paulista Melissa Teófilo disse que o ato tomou proporções bem maiores do que o esperado. “Éramos cerca de dez pessoas aqui e que estávamos indignadas com o aumento da tarifa dos transportes, com mais uma perda do poder de compra dos trabalhadores brasileiros e ainda com a forma com que os governos e a polícia trataram os protestos no país”, lembra. Mais de 3 mil pessoas confirmaram presença na página do grupo.

Melissa garante que a Embaixada foi muito solícita desde os primeiros contatos, feitos no decorrer da organização do movimento e afirma estar confiante em que encaminharão o manifesto ao país de origem da maioria dos que ocuparam parte da Cidade Autônoma de Buenos Aires.

Postagens mais visitadas deste blog

Jornal Resitência- edição 42 - julho de 2019

PEDIDO DE AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE