terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Três países. Três mulheres no comando. Como andam?

"Nos três países sul-americanos, os governos ditatoriais privatizaram serviços até então estatizados. No Chile e na Argentina, isso foi ainda mais marcante, mas no segundo país a re-estatização já está sendo realizada, especialmente desde o governo de Nestor Kirchner (2007-2010), antecessor de Cristina. 'O Estado argentino se fortaleceu com a re-estatização de serviços como a previdência e a companhia de petróleo. Já no Chile isso nunca aconteceu. Outro fator é que a educação pública foi destruída no país, tudo é pago', esclarece [Luis Augusto] Faria"

Clique no título da matéria e leia texto completo: Brasil, Chile e Argentina: os desafios e semelhanças das três presidentas da América do Sul