sexta-feira, 27 de março de 2015

Presença de embaixador em Belém fortalece solidariedade ao povo palestino

Por Antonio Alberto  C. Pimentel


BELÉM – Ontem chegou a Belém o embaixador palestino, Khalil Al Zeben. O mesmo veio à capital paraense para participar de uma palestra na Universidade Federal do Pará (UFPA), organizada pelo Comitê Paraense de Solidariedade ao Povo Palestino. Aproveitando a agenda o embaixador também fará reuniões no dia de hoje (27/03) na Assembleia Legislativa, com o governador do estado, Simão Jatene, e com a reitoria da UFPA, como o objetivo de estreitar relações diplomáticas. No dia de amanhã (28/03) fará reunião com o Comitê.

O povo palestino, desde 1919, vem resistindo a um processo constante de invasão de seu território pelo Estado de Israel, que comete as mais brutais violências, desrespeitando, inclusive, o direito internacional. Segundo o embaixador, é um tipo de colonizador diferente, pois este não tem somente o objetivo de explorar e saquear as riquezas, mas de expulsar o povo de seu próprio território.
Para o embaixador a luta dos palestinos não é contra os israelenses, mas contra a ocupação militar do Estado de Israel no território palestino. Para ele, neste suposto conflito religioso que é propagado pelo mundo, “Deus” tem um nome e se chama petróleo.

Khalil Al Zeben destaca que as violações ao direito internacional é tão grande que uma de suas lutas é para que este seja respeitado pelo Estado de Israel, não descartando a possibilidade de recorrer às cortes e aos organismos internacionais.

A Palestra na UFPA

Hoje (27/03) às 17h O embaixador Khalil Al Zeben ministrará palestra no auditório do Setorial Básico II da UFPA, com o tema “Palestina: Resistência e reconhecimento de um estado soberano”. Segundo os membros do Comitê Paraense de Solidariedade ao povo Palestino o principal objetivo de trazer o embaixador da Palestina para esta palestra na universidade  é de conscientizar a população do Pará sobre a luta do povo palestino pelo reconhecimento de seu estado soberano, e proporcionar à comunidade acadêmica conhecer com maior profundidade a história deste povo.