quarta-feira, 24 de junho de 2015

SDDH se manifesta contra a violência de gênero

Imagem: reprodução da Internet
A Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (SDDH) vem a público manifestar contra a violação dos direitos das mulheres em espaços políticos. Há décadas elas lutam para ter direitos iguais aos homens, fora as décadas de batalha para ter lugar na vida pública. Agressões físicas e verbais, ou qualquer outro tipo de violência, não condizem com a democracia. 

A SDDH se solidariza com a vereadora Marinor Brito, diante das agressões verbais e físicas sofridas por ela no último dia 16 de junho de 2015, pelo vereador Mauro Freitas (PSDC), durante sessão plenária da Câmara Municipal de Belém.

Segundo o que foi noticiado, na sessão que discutiu e rejeitou o Projeto de criação do Sistema Cicloviário de Belém, o Vereador Mauro Freita proferiu ofensas verbais e possivelmente teria dado empurrões na Vereadora, de maneira agressiva, com a clara intenção de intimidá-la, calá-la. 

É vergonhoso que atos como estes ocorram em espaços como a Câmara Municipal de Belém, onde existem apenas cinco vereadoras, ou seja, um espaço de poder que historicamente vem sendo ocupado majoritariamente por homens. Casos de violência contra a mulher, aqui no Estado, não são fatos isolados em ambientes, onde em tese, todos deveriam dar bom exemplo contra o desrespeito ao gênero, à etnias, a religiosidade etc. 

Em maio deste ano, durante as apurações das eleições para o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFPA, o universitário Diego Silva e o candidato ao senado nas últimas eleições Pedro Maia, também foram acusados de agredir  verbal e fisicamente três mulheres: duas integrantes da União da Juventude Socialista (UJS) e a estudante de Direito July Macedo, estagiária da SDDH. (Clique AQUI e entenda melhor o caso)

A Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos tomará providências sobre este caso junto à Comissão de Ética da Câmara Municipal de Belém. Repudiamos, veementemente, as posturas violentas principalmente as que estão relacionadas à questão de gênero.